Seguro Desemprego – Consulta, Calculo e Regras

seguro desempregoPara quem acha que o governo apenas tira dinheiro do cidadão, temos um exemplo de que não é bem assim. O seguro desemprego é um benefício que atende pessoas que eventualmente foram demitidas de seus cargos sem justa causa. Claro que isso não é muito perto dos impostos que pagamos, mas já ajuda. Existem requisitos legais para que um indivíduo possa receber o seguro de desemprego, que serão listados no próximo parágrafo. O importante por enquanto é saber que a consulta seguro desemprego pode ser feita através da internet, bem como o cálculo seguro desemprego, para chegar ao valor das parcelas seguro desemprego. Existe essa possibilidade para que o cidadão possa se organizar com o benefício que vai receber, já que ele não é igual ao salário.

QUEM TEM DIREITO SEGURO DESEMPREGO?

Podem dar entrada seguro desemprego aqueles que foram demitidos sem justa causa, tiver recebido o salário por mais de 6 meses, ter sido funcionário de empresa por no mínimo 6 meses, não possuir renda própria para sustentar a casa, estiver desempregado e não estiver recebendo nenhum outro auxílio da Previdência Social, a não ser pensão por morte ou acidente. A pessoa que se encaixa em todos esses perfis junto, tem o prazo de 120 dias para dar entrada no seguro desemprego, contando a partir da data de demissão registrada na carteira.

SEGURO DESEMPREGO 2012

Com novos reajustes no salário mínimo, existe uma alteração no cálculo seguro desemprego, pois o valor acaba variando. Claro que a base principal para o calcular seguro desemprego é o antigo salário do beneficiário, mas indiretamente, o seguro de desemprego sofre variação. Por exemplo, se uma pessoa ganha 2 salários mínimos, o valor do seguro desemprego é “x”. Com o aumento do salário mínimo, o cidadão passa a ganhar mais e o seguro desemprego acaba sendo maior.

CONSULTA SEGURO DESEMPREGO – PARCELAS

Para fazer a consulta do seu benefício de seguro desemprego, é necessário que saiba quanto ganhava por hora no último emprego. Para isso, basta dividir o salário pelo número de horas que era contratado. Existem também os cálculos feitos com base em salários/dia, semana ou quinzenal. Para ver então o valor das parcelas, veja a tabela de valores para o cálculo.